Confira como foi a Sexta-feira da Paixão e o Sábado Santo em Trindade

  20 de April de 2017 • 10h07 • Atualizado em 24/04/2017 • 10h48

O Programa Pai Eterno desta quinta-feira, 20, mostrou como foi a movimentação em Trindade (GO) durante a Sexta-feira da Paixão e Sábado Santo. A equipe de reportagem registrou as celebrações da Paixão e Morte de Jesus até a alegria da Páscoa do Senhor. (Assista ao vídeo abaixo)

Na noite da Sexta-feira da Paixão, momento de silêncio, reflexão e oração. “Um dia de muito respeito e jejum, que temos que estar concentrados nas coisas da Igreja e não nas coisas do mundo”, comentou a devota Marina Cabral Tavares Pires, de São José dos Campos (SP). “Temos que passar fazendo o acolhimento, orando bastante, refletindo, pensando no outro”, completou Rita de Cássia Aleluia, também do interior paulista.

Os devotos do Pai Eterno saíram em procissão da Igreja Matriz com a Imagem do Senhor Morto e seguiram até o Santuário Basílica. Logo atrás, foi levada também a Imagem de Nossa Senhora das Dores. O ambiente era de resignação, mais uma tradição antiga da Semana Santa em Trindade.

A entrada com Cristo na Basílica foi marcada por um sentimento de dor. Tudo em memória ao calvário do Salvador. As pessoas se aproximavam e demonstravam respeito e resignação. Todas as imagens cobertas com tecido roxo. Não há missa, somente uma Ação Litúrgica. O dia é de relembrar o sacrifício do filho de Deus por toda a humanidade.

Veja também:

No Sábado Santo, um anúncio marcou a Vigília Pascal: “Eis a luz de Cristo”. Ainda do lado de fora do Santuário, antes do início da celebração, houve a benção do fogo novo. Com o Círio Pascal aceso e passando pelo corredor principal do Santuário, os fiéis se aproximavam e acendiam suas velas. O Círio representa a Luz da Páscoa, que é Jesus Cristo, a luz do mundo.

“Para que façamos memória deste Cristo, que ressurgiu das trevas como luz para a humanidade. Ao mesmo tempo em que nós fazemos memória do Cristo glorioso, ainda que no símbolo do Círio Pascal como luz, nós atualizamos também esse mistério de Deus, que vem ao encontro do ser humano e que não quer permitir que nós caminhemos às escuras”, ressaltou Pe. Edinisio Pereira, reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno.

A Vigília Pascal é tida como a celebração mais importante do Calendário Litúrgico. Ela acontece no sábado à noite e relembra o dia em que Jesus Cristo passou da morte à vida. Toda a igreja é convidada a se reunir em um momento de vigília e oração.

Para celebrar a ressurreição de Cristo, a romeira Geni Benedita Gomes Tano veio de Registro (SP). Já são nove anos participando da celebração aqui no Santuário. “É um dia muito especial, de silêncio e orações. Para mim é muito especial e me sinto muito emocionada por estar aqui”, afirmou.

Ela se juntou a milhares de outros devotos que lotaram o Santuário para louvar o Mistério da Salvação. “É uma coisa maravilhosa, que eu participo com muito amor, com os meus amigos, que estão todos aqui na Igreja. É maravilhoso! Você fica pensando em tudo que já fez e no que pode fazer para melhorar. O meu pai sempre me dizia para fazer o bem sem olhar a quem. É melhor ajudar alguém do que precisar pedir ajuda”, disse a romeira Elza Mancin, de Campinas (SP).

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno

Fonte: Afipe

Veja Também