Seminário Mariológico reúne religiosos e devotos no Cineteatro Afipe

  18 de May de 2017 • 11h06 • Atualizado em 22/05/2017 • 11h27

O quadro Em Nome da Vida, exibido no Programa Pai Eterno desta quinta-feira, 18, mostrou como foi o Seminário Mariológico, realizado no Cineteatro Afipe, em Trindade (GO). O momento reuniu religiosos e diversos devotos da Mãe de Jesus Cristo. (Assista ao vídeo abaixo)

Mariologia é o conjunto de estudos teológicos sobre Maria, figura feminina da mãe presente no Evangelho, que sempre foi motivo de devoção, desde os primeiros cristãos até hoje. “Maria é o exemplo que temos. Então, nós já recebemos Maria aos pés da cruz por ser nossa mãe. Temos que confiar, cair nos braços dela e seguir em frente”, ressaltou Ir. Mirtes de Aguiar, de Trindade (GO).

Devota de Nossa Senhora, Maria Placidina de Paula, de Goiânia (GO), participou do seminário e contou como começou sua devoção: “Desde um tempo atrás eu fiz um curso na Renovação Carismática e foi onde eu encontrei o significado de Maria na nossa vida. E hoje eu tenho o grupo Nossa Senhora das Graças e estamos sempre procurando aprender mais para ensinar mais, vivenciar mais Maria nas nossas famílias”.

Foi em comemoração aos 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida nas águas do Rio Paraíba, em São Paulo, que as Obras Sociais Redentoristas de Trindade promoveram um Seminário Mariológico. “Começamos com apresentação do padre Natalino, cantando músicas marianas que tocam o nosso coração e faz parte da devoção e religiosidade popular do nosso povo. Em seguida, passamos a palavra para o Ir. Diego Joaquim, que falou sobre Maria na vida do povo e na liturgia. E em seguida, passamos a palavra para a artista sacra e devota de Maria, Mari Bueno, que falo um pouquinho de Maria na iconografia da Igreja. Ela utilizou o trabalho dela de arte sacra, que realiza em diversas Igrejas do Brasil, mostrando como que Maria é amada e cultuada pelo povo cristão”, comentou Pe. Reinaldo Martins, diretor das Obras Sociais Redentoristas.

Já no hall de entrada do Cineteatro, a exposição de arte mariana chamou a atenção.  As obras são de Mari Bueno, e são divididas em duas partes: algumas pinturas mostram o Evangelho pela visão de Maria; outras são representações de Nossa Senhora em diversos países.

Veja também:

“Essa exposição surgiu a partir de um convite que veio do Museu de Arte Sacra do Santuário de Fátima, em Portugal, e do anseio de fazer uma exposição individual. Eu fui pesquisar, estudar qual o tema que seria feito. Eu sabia que seria Maria, mas procurei esse conceito, objetivo da arte sacra, que é ser evangelizadora e catequética. Então, foi quando eu fiz essa pesquisa, a partir de uma Imagem pequena que eu encontrei em um livro antigo que falava sobre Maria de Todos os Povos e fiz essa pesquisa da vida de Maria. São 13 obras que contam a história de Maria, da vida dela; e 17 obras que mostram a face de Maria em 18 países. Como cada cultura enxerga Maria e imagina a Mãe de Deus”, ressaltou a artista plástica.

Como artista, para Mari é motivo de gratidão poder trabalhar com o tema ‘Maria’. “Primeiro, vem uma questão pessoal que é a devoção mariana, isso desde a infância. Depois, juntar o trabalho de arte sacra com a devoção mariana, sendo que nossos espaços sagrados nas Igrejas, nós sempre temos a presença de Maria, sempre que fazemos uma pintura, algum estudo iconográfico de uma Igreja, sempre tem Maria envolvida, essa mãe que nos leva ao filho. Então é muito gratificante, pois temos um amadurecimento tanto profissional quanto pessoal quando passamos a estudar com mais profundidade a vida de Maria”, disse.

A artista compôs a roda de apresentações com o Ir. Diego Joaquim, que falou sobre a devoção e a presença de Maria na Liturgia. “Apresentei um pouco da riqueza que temos na devoção a Maria, na devoção popular, no terço, nas procissões, na música, mas também na liturgia, pois temos que reverenciar Maria, nossa mãe, mas temos que amá-la do jeito certo, escutando o ensinamento que ela nos dá no Evangelho: ‘Fazei tudo o que o meu filho, Jesus, vos disser’. Assim que deve ser a devoção mariana”, ressaltou o Missionário Redentorista.

O evento também contou com apresentações do Pe. Natalino Martins, que cantou Maria.  O Seminário Mariológico foi mais um encontro de fé na terra do Pai Eterno.

O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno.

Fonte: Afipe

Veja Também